Clube Marcílio Dias repudia ação da PM contra torcedores em Itajaí

  • ITAJAÍ -
  • 03/01/2021
  • 6070 Visualizações
img

Nota Oficial – Ação Polícia Militar


 


O Clube Náutico Marcílio Dias se manifesta oficialmente acerca dos fatos lamentáveis ocorridos antes da partida deste domingo, do lado de fora do estádio Dr. Hercílio Luz, quando aconteceria uma recepção ao ônibus da delegação do Marinheiro, organizada pela torcida do Clube.


 


O grupo de torcedores que aguardava o ônibus foi surpreendido pela ação desproporcional da Polícia Militar, que mais uma vez utilizou da força, violência e de gás de pimenta a esmo para dispersar, sem motivos, as pessoas que ali estavam de forma totalmente pacífica. Inclusive atingindo crianças que se encontravam ao entorno do estádio, sendo que duas delas foram prontamente atendidas dentro do estádio, pelo staff do Clube.


 


A mesma ação desproporcional já havia acontecido em outra partida no final de 2020, também sem motivos aparentes, e em outras ocasiões, sempre com total repúdio do Clube manifestado perante o comando local da Polícia Militar. A recepção deste domingo contava, inclusive, com o apoio da Codetran, que fechou a rua para que pudesse haver a recepção.


 


O Clube manifesta a sua total indignação com os fatos ocorridos hoje, e não entende o porque da perseguição aos torcedores do Marcílio Dias. O Presidente Executivo do Clube, Hercílio Henrique de Mello, ao ficar ciente da ocorrência, entrou prontamente em contato com o comando da Polícia Militar de Itajaí, ainda antes da partida.


 


Não podemos mais aceitar este tipo de repressão, que só acontece na cidade de Itajaí, e somente contra a torcida do Marcílio Dias. Enquanto isto, em diversos outros locais do Brasil, e inclusive em Santa Catarina, as recepções são tratadas de forma diferente pela Polícia Militar, como foi registrado em Florianópolis, no recente clássico entre Avaí e Figueirense (com fogos, fumaça, sinalizadores, etc.), sem que houvesse repressão e violência.


 


Caso algum cidadão infringir a lei em um dos eventos relacionados ao Clube, que este - e somente este - seja repreendido e sofra as consequências de seus atos, e não um grupo maior, completamente inocente, como vem ocorrendo. Inclusive crianças, mulheres e idosos, nosso público constante e mais vulnerável.


 


O Marcílio Dias, através de seu presidente executivo, espera que esta tenha sido a última vez em que estes fatos lamentáveis sejam registrados contra a torcida do Marcílio Dias, e fará o possível e o impossível para que isto ocorra. Não aguentamos mais tamanha repressão gratuita.



Parceiros